Osterkamp

O que não te contaram sobre Karma e Genética

O conceito de Karma é uma visão hinduísta e budista que se baseia (superficialmente) na ideia de que temos energias tanto positivas quanto negativas que influenciam nossa vida atual. Elas viriam de gerações passadas e tem um impacto em nossa vida terrena atual, porém dessa mesma maneira o impacto do Karma tanto bom quanto ruim na vida de uma pessoa pode ser estimulado ou negado. A visão do Karma nunca é definitiva e nunca leva uma pessoa a resignar sua vida, ela ainda tem suas escolhas e seus objetivos, e suas capacidades não deveriam ser limitadas ou avaliadas por um Karma. A visão da carga genética de um indivíduo deveria ser vista da mesma maneira.

A carga genética seria basicamente a receita de bolo que nos faz nós mesmos, é uma lista de sequência de ingredientes que vão nos deixar mais propensos a alguns problemas, e menos a outros. É um campo cada vez maior na área da saúde, com descobertas frequentes. Existe uma real relação entre doenças raras e certas combinações de genes que podem mudar completamente a expectativa de uma vida, como iremos viver e até se poderemos chegar a uma vida longa ou não.

Existem certos casos específicos de doenças genéticas que podem ser potencialmente graves, além de síndromes de origem genética que irão garantir uma vida com certas necessidades especiais, mas normalmente quanto mais grave uma condição genética, mais rara ela é, e essas preocupações deveriam ser muito mais tidas pelas pessoas que realmente se encontram nesse espectro de situação.

O problema do “assunto” genética, de maneira leiga e na boca do povo, é quando a palavra “genética” ganha proporções que ela não tinha, como motivo ou desculpa por alguma atitude ou desistência, ou em outras palavras; foram encontradas na ciência sim uma correlação entre genética e obesidade. Mas não importa quão “ruim” for sua carga genética, se estiver fazendo um bom acompanhamento e seguindo orientações de dieta e/ou exercícios físicos, não será obeso.

Alimentação controlada Karma e Genética

Em últimos anos é normal escutar a coitada da genética como a culpada de diversos fatores, incluindo a obesidade, mas também a pressão alta, comportamento de vício, má adesão à atividade física, desatenção, casos de artrose e alteração de perfis de sono. Embora exista realmente frequentes pesquisas e novas descobertas, todos os items citados anteriormente são perfeitamente preveníveis e remediáveis. Colocar a culpa apenas na genética não ajuda a solucionar e nem a direcionar as opções de ajuda nesses casos.

Nada de maneira leviana, não devemos levar a genética como regra, mas talvez um cuidado a tomarmos, sendo que muitas pessoas não tem um acesso à um exame de carga genética para determinar se existe realmente uma alteração. A melhor visão vem de se responsabilizar e tentar procurar auxílio profissional quando houver alguma situação que não seja a mais adequada, pois da mesma forma que o karma, a genética só realmente será um problema se a aceitarmos como verdade e não tentarmos impedir seu efeito quando negativa.

Assinatura William Osterkamp Reabilitando Limites

Deixe um comentário.

Sobre Nós

O corpo humano não se acostuma em ficar parado. Independentemente de sua limitação, nosso corpo é feito para se movimentar. Tornar isso possível é o trabalho da Osterkamp.

Instagram
The access_token provided is invalid.
Siga-nos